nata-figueiredo-_is4fI0JdAM-unsplash

O cristão vitorioso

“Prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.”       Filipenses 3:14

Paulo utiliza a figura do atleta. Os estudiosos da Bíblia não apresentam um consenso quanto ao esporte específico descrito pelo apóstolo – se é uma corrida a pé ou uma corrida de carros. Na verdade, não faz diferença, mas prefiro a imagem da corrida de carros. O carro grego usado nos Jogos Olímpicos e em outros eventos era, na verdade, uma pequena plataforma com uma roda de cada lado. O condutor não tinha muitos lugares onde se segurar durante o percurso na pista. Precisava inclinar-se para frente e retesar todos os nervos e músculos, a fim de manter o equilíbrio e controlar os cavalos. O verbo “avançar”, em Filipenses 3:13, significa, literalmente, “se esticar como quem está em uma corrida”.

É importante observar que Paulo não diz como alcançar a salvação. Se fosse o caso, o apóstolo estaria descrevendo a salvação pelas obras ou por esforço próprio, o que seria uma contradição com as palavras dos onze primeiros versículos de Filipenses 3. A fim de participar das competições na Grécia, o atleta deveria ser cidadão grego. Não competia para obter a cidadania. Em Filipenses 3:20, Paulo lembra seus leitores de que “nossa pátria está nos céus”. Uma vez que já somos filho de Deus por meio da fé em Cristo, temos a responsabilidade de “completar a carreira” e de alcançar os objetivos que Deus estipulou para nós. Trata-se de uma ilustração clara de Filipenses 2:12,13: “desenvolvei a vossa salvação (…) porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar”.

Cada cristão está em uma pista de corrida; cada um tem uma raia específica, dentro da qual deve correr, e cada um tem um objetivo a alcançar. Quem alcançar o objetivo que Deus planejou será recompensado. Quem falhar, perderá a recompensa, mas não a cidadania, assim como diz 1 Co 3:11-15, em que a mesma ideia é apresentada usando uma imagem arquitetônica. Todos desejamos ser “cristãos vitoriosos” e cumprir os propósitos para os quais fomos salvos.

chad-madden-SUTfFCAHV_A-unsplash

Salvação sem senhorio?

“Eu, eu mesmo, sou o Senhor, e além de mim não há salvador algum.” Isaías 43:11

Qual a condição para um pecador ser salvo? A reposta mais comum é aceitar a Jesus Cristo, e de fato está correta. Mas, aceitá-lo como? Muitos cristãos entendem apenas o aspecto de aceitá-lo como Salvador e se esquecem da importância de aceitá-lo também como Senhor. A Bíblia é clara ao dizer que Cristo é o único salvador e sem Jesus não há salvação (Atos 4:12). Mas esse não é o problema. A questão é: segundo a Bíblia, o que Deus requer do pecador para salvá-lo?

Em Rm 10:8–9, o apóstolo Paulo declara: “isto é, a palavra da fé que pregamos. Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”. Um estudo cuidadoso do Novo Testamento revela que a condição para ser salvo é reconhecer a Jesus Cristo como o Kyrios. A tradução em português desta palavra grega é Senhor. Se trata apenas de uma questão de terminologia? Não, este é um conceito fundamental e que deve ser compreendido pelos cristãos: não há salvação sem senhorio.

Os apóstolos nunca mutilaram o evangelho apresentando a Jesus só como Salvador. A proclamação apostólica afirma: Jesus Cristo é o Filho de Deus que morreu, ressuscitou e é o Senhor. Aceitar a Jesus só como um Salvador pessoal, é uma tentativa de receber perdão, salvação, paz, felicidade e vida eterna sem submeter-se efetivamente à autoridade de Jesus. Mas essa possibilidade não existe no Novo Testamento. Jesus me salva e me dá todos os benefícios da salvação quando dobro meus joelhos diante dele, confessando-o como Senhor. Isso implica no fim de minha rebelião e na aceitação de seu governo sobre minha vida. Se você tem certeza de que Jesus é seu salvador, lembre-se de certificar-se de que também é o Senhor da sua vida.